Pão de hamburguer sem glúten e sem leite

O hamburguer é adorado por muitos, principalmente as crianças. 

Aproveitando que hoje, 28 de maio, é o Dia Mundial do Hamburguer, essa vai ser a receita de segunda feira.

Claro que antes vamos contar um pouquinho de história. Essa foi retirada do blog Fatos Desconhecidos

Antes mesmo de receber seu famoso nome, esse bifes diferenciados que usamos loucamente em sanduíches, já existiam mas, claro, que em uma versão mais rústica.

Dizem que os primeiro hambúrgueres foram originados devido ao costume nômade dos tártaros, no séculos 12 e 13, de carregar a carne crua embaixo das celas de seus cavalos.

Conforme os historiadores, quando esses bárbaros paravam para comer, a carne já havia virado uma pasta e, nem por isso, era desperdiçada.

Mas, a sensação da América só chegou aos Estado Unidos na segunda metade do século 19, levados por alemães, que embarcavam no porto de Hamburgo.

Daí a carne chegou ao “novo continente” com o nome de hamburg steak (ou bife de Hamburgo) e foi primeiramente consumida, em larga escala, pelos marinheiros americanos.

Depois disso, já no século 20, foram as classes trabalhadoras, de forma geral, que acolheram a novidade.

Além de baratos, esses alimentos eram saborosos, rápidos e práticos, da forma como o ritmo da explosão industrial do país pedia.

E foi a partir dos Estados Unidos que o hambúrguer conquistou o mundo.

Mas vamos ao que interessa, essa receita de pão para hamburguer não leva glúten e nem leite e é muito prática de fazer.
Ela faz parte das receitas do livro “Pães sem glúten – by Johnny Gourmet!” :

Conhece o e-book de Receitas sem glúten by Johnny Gourmet???Receitas de pães sem glúten com mix mais naturais e simples de se fazer em casa… Acesse e saiba mais!!!


Pão de hamburguer

Ingredientes:

  • 100g de farinha de arroz;
  • 50g de fécula de batata;
  • 30g de polvilho doce;
  • 20g de polvilho azedo;
  • 10g de goma xantana;
  • 5g de fermento biológico seco;
  • 10g de açúcar;
  • 10g de sal;
  • 30g de óleo;
  • 10g de vinagre de maçã;
  • 2 ovos;
  • 100g de água;
  • Farinha de arroz para sovar a massa;

Modo de preparo:

1.Misturar todos os secos, exceto o sal;

2.Na batedeira, velocidade baixa, adicionar metade da água;

3.Adicionar o óleo, os ovos e o vinagre;

4.Dissolver o sal no restante da água;

5.Aumentar a velocidade da batedeira e misturar bem por 4 a 5 minutos.

6.Retirar a massa da batedeira e sovar delicadamente em uma superfície enfarinhada;

7.Quando a massa estiver bem uniforme, formar uma bolinha e deixar crescer coberta por um plástico por pelo menos 1 hora e 30 minutos;

8.Após crescer, dividir em 8 partes;

9.Em uma bancada enfarinhada,fazer bolinhas uniformes, deixando as emendas da massa para baixo;

10.Distribuir em uma forma untada e enfarinhada e pincelar ovo batido em cima da massa;

11.Levar ao forno pré-aquecido a 170 graus por 20 minutos;

 Rendimento: 8 pãezinhos de 60 gramas

 

DICAS: 

Se quiser pãezinhos com uma casquinha dourada, pincelar um ovo batido antes de assar.

 

Gostou da receita?

Ela faz parte das receitas do livro “Pães sem glúten – by Johnny Gourmet!” :

Esse e-book foi escrito pra você!!! Receitas de pães sem glúten com mix mais naturais e simples de se fazer em casa…

Coxinha sem glúten e sem leite!!!

A coxinha é muito conhecida e apreciada no Brasil. É a legítima comida de festinhas infantis e botecos.

Reza a lenda que a coxinha tem origem na corte portuguesa.

O francês Lucas Rigaud, cozinheiro da trisavó da princesa, d. Maria I, publicou no livro Cozinheiro moderno ou nova arte de cozinha, de 1780, uma receita de “coxas de frangas ou galinhas novas” empanadas e fritas.

Antonin Carême chegou ainda mais perto da versão atual da coxinha no livro L’Art de la cuisine française au XIXème Siècle.

Seu croquette de poulet (croquete de frango) deveria ser moldado em forma de pera.

O certo é que aqui no Brasil, qualquer boteco que se preze tem a coxinha no seu cardápio.

Nas festinhas de criança, nunca falta a coxinha entre os salgadinhos a disposição.

E foi a partir dessa dificuldade, que precisei criar a receita que compartilho hoje aqui no blog.

Como todos os pais de crianças celíacas, cada festinha temos que montar o kit pra levar pra festa.

É brigadeiro, esfiha, pastel, bolo. Mas a coxinha sempre foi difícil, ou quando tinha a disposição era muito cara.

Essa receita é extremamente barata e também prática de se preparar, vai dar um pouquinho de trabalho, mas no final o resultado compensa.



Coxinha de frango sem glúten

Ingredientes:

  • 200g de batatas;
  • 50g de polvilho doce;
  • 100g de farinha de arroz;
  • 250ml de caldo de frango ou legumes;
  • 2 colheres de sopa de azeite de oliva;
  • Sal a gosto;
  • Frango desfiado e temperado para o recheio;

Modo de preparo:

1. Cozinhar as batatas até ficarem bem macias;

2. Misturar as farinhas e o sal e reservar;

3. Esquentar o caldo de frango (se for caseiro, melhor ainda. Fuja dos caldos industrializados);

4. Adicionar o azeite para dissolver no caldo;

5. Espremer as batatas e levar ao fogo junto com o caldo. Misturar bem;

6. Ir adicionando farinha aos poucos;

7. Ir mexendo sempre a panela, para que a massa não grude no fundo;

8. O ponto é quando ela começa a soltar inteira da panela, com a massa bem uniforme;

9. Agora vem a parte mais complicada da receita. Tirar do fogo e, ainda quente, sovar a massa numa bancada enfarinhada;

10. Deixar a massa bem uniforme. Ir separando bolinhas pequenas, abrir em discos, colocar o recheio e fechar no formato da coxinha.

11. Empanar com ovo e farinha de rosca sem glúten;

12. Podem ser guardadas congeladas por até 3 meses

Rendimento: 12 coxinhas pequenas

DICAS: 

Ideal levar as coxinhas ao freezer por uns 30 minutos antes de fritar, ou então fritar elas ainda congeladas.

Passar um pouquinho de azeite nas mãos para facilitar na hora de moldar as coxinhas, assim a massa não gruda nas mãos.

O óleo pode estar na temperatura de aproximadamente 180 graus.

 Tem vários vídeos no youtube ensinando a fechar a coxinha, um que eu gosto é esse AQUI!

Gostou da receita? Cadastre-se e receba nossas novidades: 

botao-de-inscricao


Gostou do post?  Tem alguma dúvida? Deixe seu comentário no final do post que respondo o mais rápido possível.